terça-feira, outubro 18, 2005


AS APRENDIZAGENS E AS EMOÇÕES

Toda e qualquer aprendizagem exige não apenas esforço intelectual mas também um estado de espírito prazeroso que desiniba a inteligência e a capacidade de aprender. Sabe-se, com efeito, que as perturbações emocionais como a ansiedade, o medo ou a insegurança inibem o intelecto condicionando todas as funções cognitivas que são chamadas a intervir na elaboração do raciocínio (lógico, analítico, criativo, etc) e nas actividades da memória (registo, evocação,etc).
Estimular auto-estima e auto-confiança nas crianças em idade escolar deve ser uma das principais preocupações dos pais e dos agentes de educação para que o esforço de aprender seja facilitado e estimulado por estados emocionais positivos.
Sugerem-se os seguintes procedimentos:

1. Incentivar a Empatia e o Afecto
Embora a linguagem e a lógica sejam importantes para ensinar valores às crianças, não moldam o comportamento delas como as emoções e os sentimentos. Promova bem-estar emocional. As emoções são poderosas.

2. Honestidade e Integridade
A honestidade e a ética podem ser assunto de permanentes conversas desde tenra idade, escolhendo livros e vídeos para compartilhar com elas, utilizando jogos que desenvolvam a confiança, etc.

3. Vergonha e Culpa
A vergonha e a culpa não são vilãs emocionais. Quando utilizadas de forma apropriada, são recursos importantes para os pais ensinarem valores morais aos filhos. Use-as mas não abuse.

4. Pensamento Realista
Isto é o oposto da auto-ilusão. Livros ou histórias contadas pelos pais podem modelar este tipo de pensamento. As crianças aprenderão a pensar de forma realista sobre os seus problemas ou preocupações se os pais fizerem o mesmo. A verdade, mesmo dolorosa, não deve ser escondida.

5. Optimismo
(fundamental para uma personalidade sadia!!!)
O optimismo aprende-se com os pais. É mais do que um simples pensamento positivo. É um hábito de pensar positivamente, uma disposição ou tendência de olhar para o lado mais favorável dos acontecimentos ou condições e esperar pelo resultado mais favorável.

6. Humor
(decisivo para uma personalidade sociável!!!)
As crianças bem-humoradas apresentam um quociente de inteligência intrapessoal superior às outras. O seu sucesso social é geralmente muito grande e fácil de obter.O humor aprende-se a desenvolver desde muito cedo. A boa disposição e o clima reinante em casa ajudam a modelar um espírito bem-humorado. As brincadeiras divertidas favorecem os alicerces do humor.

7. Amizades
Devem ser incentivadas pelos pais e na escola. Participar em festas e em grupos é um bom meio de fortalecer a inteligência social.

8. Boas Maneiras
Desde muito nova, a criança deve aprender a comportar-se bem mas sem constrangimentos. A melhor forma de educar boa maneiras é mostrar como é. As crianças aprendem muito bem por imitação.

9. Persistência e Esforço
Na adolescência, muitas crianças perdem interesse em lutar pelas coisas quando enfrentam a realidade das coisas. Já nem tudo é fácil como antes, durante a infância. Assim, é necessário ensinar as crianças a perceber o que é a perseverança e a persistência. As biografias de gente de sucesso é um bom meio. É também muito importante ajudá-los a administrar o tempo.

10. Enfrentar e Superar
FracassosAs crianças são particularmente vulneráveis aos problemas ligados à motivação. É útil ensinar-lhes que as ameaças e os problemas da vida são desafios a serem estudados e vencidos. Deve-se ensiná-los a saber tirar partido das suas habilidades e pontos fortes.

11. Consciência Emocional
Incentivar as crianças a verbalizarem os seus sentimentos como maneira de lidarem com conflitos e preocupações. Ajudá-las a ouvirem e estudarem soluções para os problemas emocionais.

12. Controle Emocional
Desde muito novas, as crianças devem aprender a gerir as suas emoções, conversando, dialogando, ouvindo, dando opiniões, pesquisando soluções para os seus problemas emocionais e sentimentais.