quinta-feira, novembro 10, 2005


DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

“Dificuldade de Aprendizagem" (DA) é uma expressão genérica que refere um conjunto heterogéneo de desordens manifestadas por dificuldades significativas na aquisição e no uso da compreensão auditiva, da fala, da leitura, da escrita e da matemática. Tais desordens são intrínsecas ao indivíduo, presumindo-se que sejam devidas a uma disfunção do sistema nervoso que pode ocorrer e manifestar-se durante toda a vida.

Problemas na auto-regulação do comportamento, na atenção, na percepção e na interacção social podem coexistir com as DA. Apesar de as DA ocorrerem com outras deficiências (ex.: deficiência sensorial, deficiência mental, distúrbio socioemocional) ou com influências extrínsecas (ex.: diferenças culturais, insuficiente ou inadequada instrução pedagógica), elas não são o resultado de tais condições”.

Definição do Comité Nacional Americano de Dificuldades de Aprendizagem (National Joint Committee of Learning Disabilities, 1988):As DA constituem um ou mais défices nos processos essenciais da aprendizagem que necessitam de técnicas especiais de educação (definição por défice). As crianças com DA apresentam discrepância entre o nível da realização esperado e o atingido em linguagem falada, leitura, escrita e matemática (definição por discrepância). As DA não são devidas a deficiências sensoriais, motoras, intelectuais, emocionais e/ou a falta de oportunidade de aprendizagem (definição por exclusão)”.

A diferenças “Dificuldades de aprendizagem” (DA) e “incapacidades de aprendizagem” (IA) referem-se a realidades conceptuais diferentes: “As DA verificam-se em crianças normais, com um perfil motor adequado, uma inteligência média ou superior, adequadas visão e audição e uma adequada adaptação emcional, que, em conjunto com uma dificuldade de aprendizagem, constituem a base da sua caracterização psiconeurológica” (V.Fonseca, “Insucesso Escolar").

Conclui-se assim que o conceito de dificuldade não inclui nem engloba qualquer perturbação ou deficiência de inteligência ou da personalidade, estando, à partida, plenamente assegurado todo o potencial de aprendizagem do indivíduo. A “incapacidade de aprendizagem” refere-se já a uma situação diferente já que exprime uma desorganização funcional de actividades psiconeurológicas (perturbações, deficiências, etc).

Assim, segundo V.Fonseca, “as incapacidades de aprendizagem compreendem perturbações que incidem sobre a recepção, a integração (compreensão) e a expressão de funções práxicas e simbólicas que não estão ligadas nem a estados demenciais nem a lesões periféricas (input), ou propriamente a deficiências do aparelho periférico (output)”.

As incapacidades compreendem distúrbios provocados por lesões cerebrais mais ou menos graves dando origem a:

- agnosias tácteis (perturbações no reconhecimento das qualidades dos objectos tais como densidade, peso, textura, forma, etc.);
- agnosias auditivas (perturbações no reconhecimento e na identificação de sons, música ou palavras
- incompreensão da linguagem falada);
- agnosias visuais (perturbações do reconhecimento de objectos, pessoas, símbolos gráficos e espaços).
- afasias (compreendem perturbações que incidem na expressão e na compreensão da linguagem, a saber:
- afasia de Wernicke (incapacidade na formulação e na evocação de palavras);
- afasia de Broca (perturbação da linguagem espontânea e da articulação);
- anartria (perturbação na realização motora da fala não interferindo na compreensão da linguagem falada);
- alexia (perturbação visuoreceptiva da linguagem escrita).
- apraxias (perturbações que se reflectem na psicomotricidade):
- ideomotoras (perturbações do gesto elementar);
- ideatórias (gesto complexo);
- construtivas (visuoespaciais e sequenciais);
- específicas (do vestuário, da marcha, bucofacial, etc)
- acalculias (perturbações que se reflectem na capacidade de realização de cálculos elementares, dizendo especialmente respeito à integração e utilização de símbolos numéricos).

Cnclusão, as crianças ou os jovens com DA apresentam discrepâncias entre a capacidade ou a habilidade mental e o desempenho, reflectidas em resultados escolares insatisfatórios.